Foco e Interrupções: Pomodoro, Canvas de Interrupções, Golden Hours..

Existem diversas técnicas para manter profissionais focados e evitar interrupções. Alguns exemplos são: Pomodoro, Painéis de Interrupções, Golden Hours, “Dia sem Reuniões”, e muitos outros. Abaixo compartilho algumas delas:

Contando Cervejas..

Certa vez em Austin, TX, fiquei impressionado com uma técnica utilizada “out of office hours” em um bar. Na verdade, eu fiquei tão curioso que eu fui perguntar do que se tratava. Naquele momento, eu não tinha percebido o quão genial era aquela prática e o quão aplicável ela era para o desenvolvimento de software. A moça da foto me explicou que a cada cerveja que ela tomava, ela contabilizava com uma caneta e fazia uma marcação na mão. Se ela não conseguisse marcar, era um sinal para ela de que ela não iria beber mais cervejas naquela noite. A marcação seguia o que eu chamo de “Padrão do Presidiário” de contagem: |||| (e o quinto risco é um risco com um ângulo de 45 graus). Estas são as fotos da ocasião:

IMG_0691IMG_0692

O que que isso tem a ver com desenvolvimento de software?!

A Técnica Pomodoro

É uma ferramenta para gestão do tempo, criada por Francesco Cirillo (pomodorotechnique.com). A ferramenta define as seguintes atividades:

1. Definir a tarefa a ser executada
2. Controlar o tempo do timebox, seja por ter visível ou por meio de um alarme
3. Execução
4. Intervalo curto (3 a 5 minutos)
5. A cada quatro ciclos de “pomodoros” fazer um intervalo mais longo (15-30 minutos)

O objetivo é auxiliar no foco e dar visibilidade para outros profissionais da organização que são potenciais fontes de interrupções que você está no meio de um ciclo de pomodoro. Tambem ajuda a você não se distrair com WhatsApp, Facebook, Telegram e outras distrações no seu browser e celular. Com o histórico das tarefas, número de ciclos necessários para o término, você pode (opcionalmente) identificar tarefas e atividades menos produtivas que podem representar possíveis oportunidades de melhoria pessoal.

Canvas de Interrupções

Equipes de desenvolvimento de software que trabalham no desenvolvimento de novas funcionalidades e na manutenção de aplicações tendem a ter um grande impacto na produtividade com interrupções. Um dos motivos é a falta de planejamento da capacidade para resolução de problemas e incidentes não planejados, mas isto é assunto para outro post. Um dos benefícios de se trabalhar com Métodos Ágeis no desenvolvimento de software, é o fato de que geralmente eles nos trazem uma maior visibilidade e uma maior transparência sobre tudo, mas especialmente uma maior visibilidade sobre os problemas. Uma abordagem possível é ter um Canvas de Interrupções na área de trabalho. Basicamente, se trata de uma folha ou um espaço em um quadro branco ou um quadro de tarefas ou quadro Kanban [sim! quadro branco != quadro de tarefas != Canvas != Kanban] que representa quantas vezes um indivíduo (single player) ou uma equipe (multiplayer) foi interrompida durante a jornada de trabalho. A dinâmica é simples, sempre que alguem trouxer uma dúvida, problema, pedir ajuda, solicitar um status report você deve pedir para que esta pessoa vá até o Canvas e marque a interrupção que esta pessoa esta gerando. Feito isto, você redireciona para o profissional mais adequado ou resolve o problema em questão.

Golden Hours também conhecidas como: Core Hours, Team Hours, Quiet Hours

Golden Hours:

Um termo utilizado na televisão Japonesa para referenciar o período entre 19:00 e 21:00. É o equivalente ao Prime Time (19:00 as 22:00 ou 20:00 as 23:00 dependendo da região) na televisão Americana.

Independentemente de como você chama, esta é uma prática para que o time (veja bem, O TIME) defina e chegue a uma conclusão sobre o horário e o tamanho da janela de tempo (timebox) que será considerada como “Golden Hours”. Durante estas horas, a ideia é de que o time não tenha reuniões, não responda emails, não seja interrompido por dúvidas de outras áreas/times, a única atividade que o time desempenha é transformar café em código fonte. As “Golden Hours” nunca são de 8 horas. Realisticamente falando, nenhum profissional trabalha 8 horas em um dia de trabalho de 8 horas. As “Golden Hours” permitem que os profissionais utilizem parte do seu tempo para se dedicar a sua principal atividade e as demais horas para tarefas pessoais, administrativas, de desenvolvimento/aprendizado, pagando suas contas, comprando chocolate para os colegas de trabalho, consultas médicas e etc. Preferencialmente, o time que define as “Golden Hours” tem a responsabilidade de como grupo e individualmente que elas sejam seguidas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s