Alinhamento de Propósito (Modelo Nickolaisen) de Neil Nickolaisen

[Conteúdo traduzido e adaptado]

Neil inicia o seu artigo escrevendo sobre a falácia da utilidade do triângulo da gestão de projetos, onde os 3 vértices são: escopo, tempo e orçamento.

Ele costumava desenhar o triângulo para os seus stakeholders de projeto para facilitar a conversa e entender a perspectiva e as restrições do cliente e da
organização com relação aos 3 vértices.

Na prática, na experiência de Neil, o triângulo não auxiliava na conversa e na gestão do projeto. Os clientes sempre queriam tudo, mais escopo, menos prazo e
menos custo.

Com isso, ele criou uma ferramenta para auxiliar na definição de propósito  do projeto e de gestão do escopo do projeto.

Entendendo o propósito e mensurando os processos de negócios relacionados a demanda e os requisitos do projeto quanto a capacidade de diferenciação e o
entendimento da criticidade destes processos e requisitos para a organização.

A ferramenta se chama Alinhamento de Propósito e segue uma tradução abaixo da mesma:

alinhamento de proposito.png

Os quadrantes do modelo são os seguintes:

Diferenciação:

Poucos são os processos e requisitos que servem simultaneamente a diferenciação de mercado e importância crítica para a organização. O propósito destes
processos e requisitos de diferenciação é de ganhar clientes (usuários finais) e gerar ganho de fatias de mercado (market share).

Equiparação:

A grande maioria dos nossos processos e requisitos que são críticos para a organização mas não diferenciam a organização perante ao mercado. Não existe
benefícios em desempenhar ou entregar processos e funcionalidades de Equiparação melhor do que as outras organizações entregam. Na realidade, tratando
processos e funcionalidades de Equiparação como se fossem de Diferenciação incorre em custos elevados.

  • Custos diretos: Recursos que nós investimos para que sejam melhores do que tem de ser.
  • Custos indiretos: A complexidade que nós inserimos para fazer com que esses processos ou funcionalidades sejam únicas, interessantes ou inovadoras.
    Deveríamos fazer nosso design para Equiparação com o foco em melhores práticas, simplicidade, fluído e de maneira padronizada.

Parceria:

Alguns processos ou requisitos podem ser de diferenciação mas não ser críticos para organização. Para explorar a oportunidade da organização se diferenciar,
neste caso a sugestão seria escolher uma Parceria para entregar este processo ou funcionalidade. Por exemplo: supondo que a diferenciação da organização seja
design e engenharia mas que tenha necessidade de fabricar com alta precisão, uma alternativa seria encontrar um parceiro que possui como diferencial
competitivo de mercado a sua capacidade de fabricação com alta precisão. Efetuar Parceria com outra organização não significa trabalhar no modelo de
outsourcing com esta empresa.

Quem se importa?

E por último, alguns processos ou requisitos podem não ser de diferenciação nem críticos para o negócio. Neste caso, quem se importa o que ou como nós vamos
entregar?

nao importa
Fonte original: artigo Niel Nickolaisen (em inglês)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s